Por Alimentos Seguros no Setor Vitivinícola

12 de agosto de 2011

Consultores de diversas partes do país recebem, na Embrapa Uva e Vinho, capacitação sobre segurança de alimentos

Engenheiros agrônomos de diversas partes do Brasil que prestam consultoria para o setor vitivinícola estão recebendo, nesta semana, um gênero de capacitação “de ponta”, na Embrapa Uva e Vinho, em Bento Gonçalves (RS). Segurança do alimento é o tema central do aprimoramento, realizado no âmbito do Programa Alimentos Seguros (PAS), coordenado nacionalmente pelo Senai. O curso, denominado PAS – modalidade Uva para processamento, é parte de convênio entre Sebrae e Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), contando com a participação da Embrapa e outros parceiros na criação dos documentos técnicos de apoio e na realização dos treinamentos.

Mais de 20 pessoas participam do curso, iniciado segunda-feira, 8, e com continuidade até sexta-feira, 12, com atividades nos turnos da manhã e da tarde. O propósito da formação, explica um de seus coordenadores, Chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Uva e Vinho, Alexandre Hoffmann, é capacitar consultores com experiência em vitivinicultura para a implementação da metodologia do PAS junto a vinícolas e viticultores. Como parte das atividades do convênio Sebrae/Ibravin, os consultores adotarão tal metodologia junto a vinícolas inscritas no Programa e viticultores indicados por cada um desses estabelecimentos em oito Estados brasileiros (RS, SC, PR, SP, BA, PE, ES e GO), detalha ele.

A gestora do convênio, Consultora do Ibravin, Raquel Rohden, diz que o setor da uva e do vinho, ao ter demandado a capacitação, quer antecipar-se ao que virá a ser uma cobrança da fiscalização. “Já há legislação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento exigindo a implementação das Boas Práticas Agrícolas (BPA)”; a cadeia produtiva, então, quer se adiantar, adequando-se a essa norma antes mesmo de o Ministério passar a cobrar seu cumprimento, explica Raquel. “Estar adequado às BPA é um ‘caminho sem volta’”, acrescenta ela.

O curso de capacitação tem duas abordagens: a primeira, de caráter técnico, é ministrada por pesquisadores da Embrapa Uva e Vinho e a segunda, com foco nos conceitos do PAS, por consultores contratados pelo Senai.

De parte da instituição, o Assessor Técnico Nacional do Programa Alimentos Seguros e Diretor-presidente da Dzetta, Paschoal Guimarães Robbs, comenta que o PAS – Uva para processamento focará os aspectos ligados ao controle dos perigos para o consumidor, bem como perigos importantes para a qualidade dos sucos e vinho. Isto, acrescenta Robbs, com a utilização das BPA e do Sistema de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC), ferramentas utilizadas mundialmente para a produção de alimentos seguros.

A Dzetta também está representada pelos consultores Maria Cristina Prata Neves e Kurt Jr. que integram a equipe do Senai e participam da confecção dos manuais e cartilhas e ministração das aulas do curso.

A capacitação desta semana, acrescenta Hoffmann, é a primeira de duas etapas: estará focada no tema viticultura, estando prevista para o período de 22 a 24 de novembro uma segunda fase do aperfeiçoamento, com foco em enologia.

Fonte: Portal do Agronegócio e Dzetta.

Para saber mais sobre as ações da Dzetta junto ao Programa Alimentos Seguros, clique aqui.

 

Compartilhe:
  • Facebook
  • Orkut
  • Google Bookmarks
  • del.icio.us
  • Digg
  • LinkedIn
  • Twitter
  • email